Jornalismo – teoria na prática (capítulo)

Autor do capítulo “INTERNET E IMPRENSA: uma reflexão sobre as teorias do jornalismo na era digital”

Este é mais um livro nascido da proposta do coordenador do curso de Jornalismo da Universidade Veiga de Almeida – Prof. Dr. Luís Carlos Bittencourt – encampada pelo NDE (Núcleo Docente Estruturante), de editar e books para oferecer à comunidade algumas produções acadêmicas de interesse geral. Para o Núcleo de Estudos em Jornalismo da UVA – associado ao grupo de pesquisa no CNPq denominado Qualidade em Comunicação -, e responsável por esta nova publicação, o conhecimento que se produz numa universidade deve retornar em benefício da sociedade.

Desde 2013, o Jornalismo deixou de ser uma habilitação no guarda-chuva da Comunicação Social, graças ao esforço de jornalistas, professores e pesquisadores, retomando a sua identidade e independência, marcas de uma profissão inconformista a serviço da liberdade de expressão, da democracia e da sociedade. O curso da UVA oferece desde 2015 o diploma de Bacharelado em Jornalismo. Assim, este e-book dá visibilidade às reflexões dos alunos sobre a permanência e validade no mundo contemporâneo , das Teorias do Jornalismo, propostas, em grande maioria, por diversos estudiosos, durante o século XX.

Por escolha editorial, o livro foi dividido em duas partes. A primeira apresenta uma proposta mais acadêmica, na qual os autores aplicam algumas das teorias em formatos de comunicação da atualidade. A segunda parte traz o resultado de um desafio, lançado em sala de aula, de apuração da viabilidade das teorias, por meio de entrevistas com profissionais da área e com receptores de informação – leitores, ouvintes, espectadores e internautas.

Dessa forma, nos artigos iniciais que propõem a aplicabilidade das Teorias do Jornalismo, Luana Vitória V. de M. Ucha e Priscilla Romana analisaram o filme Shattered Glass (O Preço de Uma Verdade); Beatriz Nunes de Souza, Larissa Rocha e Mariana Bernardo Mesquita Gigante lançaram um olhar sobre o blog Não Me Khalo; Camila da Silva Porto buscou relações existentes entre algumas teorias e cenas do documentário O Abraço Corporativo; Flávia Linhares Sandy e Nathalie Gonzalez Fonseca tentaram essa aproximação com o site POTTERISH. Já nos artigos que compõem a segunda parte, Raísa Pires de Carvalho e Gabriel Pimentel escolheram entrevistar quatro profissionais da notícia da mesma empresa de comunicação, regidos sob uma mesma linha editorial, para avaliar a aplicabilidade ou não das teorias no dia a dia das redações, e quatro receptores da informação, para observar a percepção do público sobre as teorias; Bruno De Blasi optou por uma reflexão sobre as Teorias do Jornalismo na era digital; Marina Magalhães angulou suas entrevistas para a veracidade das teorias do jornalismo no século XXI; Felipe Borges e João Pedro Marques decidiram perguntar se as teorias do jornalismo estão apenas no campo teórico ou são aplicadas na prática; Arielle Oliveira Curti e Raphaela Quintans de Andrade Rodrigues levaram aos entrevistados reflexões sobre o jornalismo e suas teorias, com o objetivo de entender qual é o pensamento da sociedade sobre a profissão e o que o profissional pensa a respeito; Ashelley Brenda e Pamella Castro tiveram como objetivo apontar onde as teorias se enquadram em diversas situações cotidianas ligadas à informação.

Para concluir, queremos contar o quanto estamos orgulhosos de ver nossos alunos pensando a nossa profissão, particularmente, em tempos de velozes e profundas mudanças do fazer jornalístico.

Jornalismo – teoria na prática:

Organização: Diana Damasceno, Luis Carlos Bittencourt e Vânia Fortuna
Autores: Bruno De Blasi
Editora: iVentura
Formato: eBook (Kindle)
Link para comprar: Amazon

Ver outras publicações