em

Vinte&Um: Obrigado, iPod!

Cerca de 20 anos depois, o iPod começa a se despedir, com o fim do iPod Nano e Shuffle

Chegou a vez dos iPods: a Apple, ontem, deu o primeiro beijo da morte na linha. Sem alarde algum, retirou os iPods Nano e Shuffle do site. A mudança foi percebida por blogs e jornais de tecnologia, que noticiaram o ocorrido aos quatro cantos do mundo. Mais tarde, a Apple confirmou o fato. Só restou o iPod touch para contar história.

Já faz um bom tempo que a Apple não renova a linha. Desde 2012, para ser mais exato, quando a empresa trouxe uma atualização significativa, e 2015, com cores novas. De lá pra cá, tudo permaneceu igual. Apenas o iPod touch, com pequenas mudanças internas, recebeu algo novo. E só.

Hoje, ele está perto do seu fim. Lançado em 2001, o iPod surgiu em um momento onde os computadores ainda eram o foco principal do Vale do Silício. Além disso, foi um dos primeiros lançamentos depois do retorno de Steve Jobs à Apple, apresentado como um produto “revolucionário”. E ele tinha razão.

Com a chegada do iPod, tudo mudou. As mídias digitais, que já estavam com força, antes, tiveram um impulso ainda maior. Por isso, não demorou para a Apple observar esse mercado recém-nascido para agir mais uma vez.

Com o lançamento da iTunes Store, em 2003, a indústria musical sofreu um impacto fortíssimo. Para um momento onde era preciso comprar um CD inteiro para ouvir apenas uma única música, a loja mudou toda a forma de consumo dessas mídias. Até 2006, a iTunes Store detinha 80% das vendas da internet. A Apple já tinha vendido 1,5 bilhão de musicas e a mídia digital se tornou imbatível.

Essa mudança acabou sendo levada a outros meios. Sem demorar muito, os telefones celulares evoluíram ao ponto de competirem com os iPods. Não à toa, tentando se adequar, em 2004, a Apple fez uma parceria com a Motorola e levou o iTunes ao ROKR E1. Só que a ideia não vingou tanto assim.

Sua exclusividade no mundo Apple acabou com a chegada do iPhone. Lançado em 2007, o iPhone não apenas mudou o que chamamos de celular, hoje, como, também, trouxe outra realidade aos players de música. No ano seguinte, outra novidade: a Apple lançou o iPod touch, conhecido como um “iPhone sem telefone”. Foi o queridinho dos jovens por anos e um dos principais empurrões para o iOS ser o que é hoje.

Entretanto, o mercado mudou. A quantidade de download de músicas é baixa, e, pior, a compra. O streaming tomou posse do mercado. Além disso, o progresso tecnológico e a queda de preços permitiu que qualquer pessoa tenha um smartphone. Os tempos mudaram, e, com eles, a procura pelos iPods.

Cerca de 20 anos depois, o iPod está perto do fim. Ainda assim, o iPod touch foi atualizado, mesmo que só alterando armazenamento. Porém, com preços a partir de R$ 1.299, não há vantagem enquanto um iPhone custa R$ 1.499, com mais recursos.

Em outras palavras: nem o iPod resistiu às mudanças e novidades trazidas e ocasionadas pelo iPhone.

Bruno De Blasi é editor da Vinte&Um e estudante de Jornalismo

Publicado originalmente na revista Vinte&Um, no dia 28 de julho de 2017.